Páginas

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Chik Jeitoso e Marcelo Araújo são presos acusados de extorsão de R$ 5 milhões.

Notícia publicada em todos os sites e veiculada com destaque em todos os telejornais. Matéria totalmente dispensável.

São os jornalistas que gostam de dissecar os esquemas criminosos ou são os leitores que gostam de saber em detalhes como o seu dinheiro é roubado? Em ambos os casos estamos caminhando pra trás. Não se trata de esconder a triste realidade, mas em dar o devido destaque a cada tipo de notícia.

No caso da moça que foi atacada com uma seringa no tubo da Praça Eufrásio Correa é importante o destaque por que muitas pessoas circulam por ali. Mas nesse caso a importância é somente para outros empresários e políticos, se que há esta necessidade, pois que é abordado por esse tipo de gente sabe que está sendo extorquido, não precisa do noticiário para o alerta.

Basta então a notícia do ocorrido, como se faz no obituário: "Chik Jeitoso e Marcelo Araújo são presos acusados de extorsão de R$ 5 milhões. A prisão é temporária por 5 dias. As investigações estão em andamento." Basta! No dia em que os acusados forem inocentados ou condenados, nova notícia e pronto. Nada de primeira página ou vídeo na internet.

Algum jornal colocou na primeira página a ação do projeto WAAS (We All Are Smart) em uma escola na CIC? Colocou vídeo na internet? Entrevistou o líder do projeto? Entrevistou os alunos da escola, os professores? Ah! Não soubemos disso. Não souberam por que não tem jornalistas nas escolas, por que os jornalistas não têm contato direto com os diretores das escolas. Mas jornalista na delegacia sempre tem, contato direto dos delegados com os jornalistas sempre tem. A mesma coisa para o futebol. E nas escolas? Somente quando queremos colocar uma notícia "positiva", o que devia ser todo dia.
Quer saber mais sobre o projeto WAAS, coloque no google WAAS CIC