Páginas

terça-feira, 1 de julho de 2014

Assim funciona a política no Paraná, quiçá no Brasil, na Argentina e também na Itália!

Assim funciona a política no Paraná, quiçá no Brasil, na Argentina e também na Itália!
salvo algum ato falho que corrigirei assim que informado, segue o currículo de uma família ilustre da política paranaense e algumas observações e fatos dos seus respecitos partidos.

Ricardo Barros (nascido em 1960)
Prefeito de Maringá – 1989 a 1993 (PFL).
Deputado Federal – 1995 a 1999 (PFL)
Deputado Federal – 1999 a 2003 (PPB)
Deputado Federal – 1993 a 2006 (PP)
Deputado Federal – 2006 a 2010 (PP)
Secretário de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná - 2011 a 2014 (PSDB)
Vice-presidente Nacional do Partido Progressista por duas gestões. Em 2010 foi candidato ao Senado na coligação com Richa (PSDB). Lider do governo FHC e Lula no Congresso.
Foi condenado em 2012 por improbidade administrativa por ter fraudado uma licitação de equipamentos quando prefeito de Maringá (o material acabou na verdade com um dos membros da comissão de licitação) http://bit.ly/rmj01072014f

Silvio Barros (irmão)
Prefeito de Maringá - 2005-2008 (PP)
Reeleito - 2009 -2012
Mudou para o PHS em 2013. É candidato ao governo do estado pelo PHS (Partido Humanista da Solidariedade, que você nunca deve ter ouvido falar) mas que responde a ações em que já foi condenado em duas instâncias.
O PHS não tem deputados estaduais no Paraná atualmente e também não tem deputados federais nem senadores. O PHS é a fusão do Partido da Solidariedade Nacional (PSN) com o Partido Humanista Democrático do Brasil (PHDB), que você também nunca deve ter ouvido falar. Na Wikipédia consta que o PHS apoia do distributismo, mas eu não consegui confirmar em algum documento oficial do partido. O atual presidente do partido, Eduardo Machado, é de Goiás. O PHS é da base aliada da presidente Dilma, mas decidiu apoiar Eduardo Campos para presidente. Na convenção estadual o partido confirmou a candidatura de Silvio Barros e a coligação com o PROS - mas com a indicação de Cida Borghetti (cunhada) para vice de Beto Richa, "concomitantemente, recua a candidatura de Silvio Barros (PHS) ao Palácio Iguaçu" leia mais em http://bit.ly/rmj01072014g. Também tem o apoio de Marcelo Belinati (outra família ilustre, de Londrina), ex-vereador e ex-candidato a prefeito de Londrina e pré-candidato a deputado federal pelo PP.

Cida Borghetti (esposa)
Chefiou o escritório de representação do governo do Paraná em Brasília entre 1998 e 2000 (seu marido era deputado federal) - dois governos do Lerner (PDT/PFL)
candidata a prefeita de Maringá em 2000
deputada estadual 2003-2006 (PP)
reeleita 2007-2010 (PP)
deputada federal - 2011-2014 (PP)
Mudou para o PROS em 2013, Partido Republicano de Ordem Social, que você também nunca deve ter ouvido falar, mas leu em texto anterior meu aqui https://www.facebook.com/ricardomendesjr/posts/10204292644781176. É candidata a vice-governadora na chapa do Beto Richa (PSDB). É presidente estadual do partido.
O PROS também não tem deputados estaduais. O PROS tem 21 deputados federais, sendo sa região Nordeste 9 (5 do Ceará), Norte 2, Sudeste 7, Centro-Oeste 1, Sul 1 (Cida Borghetti). Tem um senador (TO). O atual presidente do partido é Euripedes Gomes de Macedo Junior, profissão declarada de Agente Político. Foi candidato a deputado estadual por Goiás em 2010 mas não se elegeu (3.093 votos) e será candidato a deputado federal por Goiás nas próximas eleições. Foi Secretário de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Distrito Federal (dez/13 a abr/14), governo Agnelo Queiroz (PT). A principal bandeira do partido é diminuir a carga tributária. Apoia a reeleição da presidente Dilma, o pré-candidato Anthony Garotinho no RJ e Beto Richa no PR.
A escolha de Cida Borghetti desagrada o deputado Ratinho Júnior (PSC), pois a "tendência é a família Barros tomar conta do Palácio Iguaçu a partir de 2018 — caso a chapa vença a eleição de outubro". leia em http://bit.ly/rmj01072014g

Para entender e formar sua opinião:
1) Quanto vale cada partido político na eleição:
Para saber “quanto vale” cada partido político, é necessário fazer uma análise da composição partidária na Câmara Federal.
A divisão deste tempo também deverá obedecer aos critérios estabelecidos pela Lei das Eleições, que são os seguintes:
- 1/3 (um terço), igualitariamente (ou seja, 10 minutos, divididos de forma igual entre todos os partidos e coligações);
- 2/3 (dois terços), proporcionalmente ao número de representantes na Câmara dos Deputados, considerando, no caso de coligação, o resultado da soma do número de representantes de todos os partidos políticos que a integram.
Fonte: http://www.eleitoralbrasil.com.br/ página http://bit.ly/rmj01072014e

2) Família Barros comanda três partidos no Paraná (artigo de Tatiane Salvatico, Gazeta Maringá)
http://bit.ly/rmj01072014d
trasncrevo esta parte: Ausência de regras facilita manobras, afirma especialista:
Candidatos ligados a um mesmo grupo e que disputam a mesma eleição demonstram um enfraquecimento do sistema político. A opinião é do professor de Direito da Universidade Estadual de Londrina (UEL) Miguel Etinger de Araújo Júnior, para quem deveria haver restrições a esse tipo de manobra. “Não existe ressalva neste sentido. Mas é claro que, socialmente ou judicialmente, podemos fazer diversos questionamentos morais.”
Para Araújo, seria superficial afirmar que o eleitor não consegue perceber as semelhanças entre os partidos, já que os grupos são liderados por figuras conhecidas. “As pessoas estão tão preocupadas com problemas pessoais que entregam os cuidados da vida em sociedade a qualquer um. Isso é fruto de uma sociedade patriarcal, que elege o outro para ser responsável e resolver seus próprios problemas.”

3) Para que serve um deputado federal?
"A capacidade de obter e direcionar verbas federais para o Paraná foi uma das principais marcas da atuação de Ricardo na Câmara. Por dois anos consecutivos – 2009 e 2010 -, Maringá foi apontada como a cidade que mais recebeu verbas federais por habitante no país. Resultado do trabalho de diálogo de Ricardo Barros com Ministros, lideranças em Brasília e na cidade. Além de Maringá, outros 200 municípios, em todas as regiões do Paraná, paranaenses receberam recursos para obras e investimentos frutos do empenho de Ricardo Barros."
Retirado da biografia do deputado, em http://www.ricardobarros.com.br/biografia.php

Não dá pra entender, nem desenhando!!