Páginas

sábado, 3 de abril de 2010

Gazeta do Povo publicou meu texto hoje, devidamente editado

A edição não foi de todo má. Então adianto que, para continuar tendo meus comentários volta e meia publicados neste jornal eu não repudio os editores, nem quero retratação, pois as mudanças não chegam a contrariar minha opinião, mas não posso deixar de mencionar o fato. Mas se eu tenho algum direito nesse caso (meus amigos de mídia me digam), fácil de ser requerido (tipo, apenas uma carta assinada), eu posso mudar de ideia.

O texto publicado está no final desta nota. O texto original aqui http://ricardomendesjr.posterous.com/filho-de-politicos-nas-escolas-publicas

O titulo era "Filhos de políticos nas escolas públicas" e virou "Proposta de divisão dos royalties". A menção ao novo título foi inserida (e bem) no meio do meu primeiro parágrafo: "A proposta de investimento dos royalties na educação, do senador Cristovam Buarque, é uma ...". E o apelo ao projeto dos filhos dos políticos, no meu segundo parágrafo, foi retirado. Ficou descaracterizada a ideia principal do texto (tanto que mudaram o título), mas ficou uma "marca" do meu pensamento ("necessidade de pressão via leis no Brasil") e a visão de que a escola pública precisa de um empurrão para virar o jogo. A nova redação deixou sem sentido o trecho "e, principalmente os políticos".

Como até hoje não fui contrário a nenhuma proposta do Sen. Cristovam Buarque, não me importo com as mudanças. No entanto, quanto à divisão dos royalties eu não tenho opinião formada e não me interessa a discussão (por isso nunca escrevi sobre) desde que o dinheiro fique no Brasil, pois para qualquer lado que vá não será aplicado no que realmente se necessita (educação e saúde), mas tão somente uma pequena parte.

E a conclusão: por que os editores fizeram isso? Por que não apoiam a proposta dos filhos de políticos em escolas públicas. Com certeza!

texto publicado:
Proposta de divisão dos royalties
No Brasil é necessário mais do que campanhas para conscientizar pessoas e, principalmente os políticos. Uma livre pressão sempre ajuda. Temos muitos exemplos: uso do cinto de segurança, lei seca no trânsito, lei do fumo em locais públicos, e por aí vai. A proposta de investimento dos royalties na educação, do senador Cristovam Buarque, é uma ótima oportunidade para virar o jogo da escola pública, e, com certeza, a maioria dos eleitores apoia.

Posted via email from Ricardo MJ's posterous