Páginas

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Pandemia de lucro - sobre a gripe A

está circulando em alguns grupos e blogs, mas ainda não localizei a origem.
PANDEMIA DE LUCRO
Heleno R. Corrêa
Para evitar visões simplistas
As informações sobre ganhos da Roche e suas subsidiárias presididas por Donald Rumsfeld - o capataz da guerra no Iraque - com a venda de Tamiflu impulsionadas pelo alarme da mídia sobre a gripe AH1N1 são verdadeiras. A notícia é verdadeira - a ação perante ela é que não pode ser simplesmente parar de comprar Tamiflu. Existe incerteza quanto a possibilidade de a pandemia de vírus de porcos agro-industriais Norte-americanos se tornar mortal em uma segunda onda, a partir do próximo inverno do hemisfério norte.


Ocorreu uma segunda onda com as pandemias AH1N1 de 1918 e na de 1936. O vírus primeiro "lambe" e depois "morde" após mutações que aumentam a virulência (medida de gravidade ou incapacidade causada pela doença que inclui a letalidade).
Nosso inverno do hemisfério sul terminará em um mes e estamos passando como na música do Gilberto Gil - "Por um triz", com a gripe suína pegando mais os gaúchos. A pancada maior atingiu os argentinos, uruguaios e chilenos que estão em clima mais frio, mesmo assim não sofreram mortalidade alta. No momento a letalidade ou mortalidade entre os doentes é de 0,45% - menor que a da gripe comum.
A segunda onda letal pode ocorrer se não estiver disponível vacina e as multinacionais e o departamento de estado norte-americano tentaram, mas não conseguiram, colocar a vacina como segredo e reserva comercial de mercado cobrando patentes através da OMS. Ao contrario do que as grandes corporações queriam, hoje existe obrigação mundial de distribuir amostras do vírus para fabricar vacina e estamos correndo contra o tempo.
Uma vacina em janeiro de 2010 pode ser a última arma contra uma pandemia mortal. A representação brasileira liderou votação durante a Assembléia Mundial de Saúde entre países do 3o. mundo para não deixar passar o assassinato em massa que ameaçaram em Genebra no mes de maio passado.
Queriam cobrar patentes do vírus para vender vacinas. Só iriam morrrer os pobres, para variar.
É verdade que estão aproveitando para enfiar - literalmente - o Tamiflu nos estoques de todos os países compradores. Esse medicamento é o único disponível e no Brasil estão gastando rios de $ comprando por que decidiram não quebrar a patente. Um projeto mais imediato seria quebrar a patente e fabricar em todos os lugares sem parar de pesquisar a vacina, como estão fazendo no Instituto Butantan. É um jogo de roleta-russa. Se der certo o tratamento dos casos graves com Tamiflu muitas mortes poderão ser evitadas.

No entanto, se o vírus mutar e escapar da vacina, talvez em janeiro próximo estejamos lamentando.

Hoje estamos com um alarme que dá lucro para quem vende remédio mas temos um inimigo poderoso criado nas granjas de porcos que as corporações do agri-business estadunidense jogaram nas fazendas mexicanas e não sabemos o que vai acontecer.
No Brasil, hoje o mais importante é trabalhar contra a mídia que empurra as pessoas gripadas para os HOSPITAIS quando em nosso país o sistema de porta de entrada do SUS são os Centros de Saúde.

Isso leva pessoas em dúvida para filas que duram horas e aumentam as chances desnecessárias de contágio por doentes verdadeiros.
Uma pessoa em dúvida pode não ter a gripe suína norte-americana mas vai pegar na fila. A TV é fundamental no Brasil para ferrar a população e parece que faz isso deliberadamente.
Se mandassem para o SUS teriam que explicar por que não defendem mais verbas para os Centros de Saúde aprovando a emenda constitucional 29 que está na gaveta do Michel Temer sem ir para votação faz dois anos.
O site onde estão as informações mais recentes sobre a pandemia é H1N1 Flu Resource Centre at
www.TheLancet.com/H1N1-flu e no Brasil http://portal.saude.gov.br/saude/ ou http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area...