Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Cidadãos honorários e nomes de rua

O vereador Juliano Borghetti (foto), do PP, apresentou projeto de lei limitando o número desse tipo de proposta que os parlamentares poderão apresentar durante cada legislatura.

“A idéia é que cada vereador seja limitado a três projetos de rua e três projetos de cidadão honorário. O número ainda é grande e queremos diminuí-lo. O papel de vereador numa cidade complexa como Curitiba precisa ir além que simplesmente votar nomes de ruas e títulos. É preciso, principalmente, discutir a situação dos moradores dessas ruas e da cidade”, defende o vereador.

Minha contribuição:

Os títulos de cidadão honorário deveriam ser votados por plebiscito em quiosques de votação pela internet. Faz uma lista anual e a população vota naquela lista. Os mais votados (uns dez ou doze) recebem o título naquele ano – e sem campanha, só pela ficha do candidato.

E as ruas deveriam ter números (divididos em quatro quadrantes) e não nomes. Mantendo os nomes que já existem somente nas avenidas.

E acabou-se a discussão. Estamos no século XXI. Temos que eliminar estes hábitos coloniais.