Páginas

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Comissão de Trabalho aprova projeto para entrega de mercadorias por meio de bicicletas

Cidades brasileiras livres da poluição e ecologicamente corretas. Essas são as principais metas do Projeto de Lei (PL2771/2008), do deputado Marcelo Ortiz (PV-SP), que regulamenta a atividade de entrega de mercadorias por meio de bicicleta. O texto foi aprovado por unanimidade, nesta quinta-feira (10/06), na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), em Brasília. " O projeto é de muito importância uma vez que usar a bicicleta combaterá a poluição e diminuirá o trânsito caótico. Além disso, é extremamente saudável para seu condutor", justificou. Ele lembrou ainda que na Europa e em algumas cidades brasileiras a bicicleta já é usada como meio de transporte no dia a dia. " Esse tipo de serviço é adequado tanto do ponto de vista social e ambiental", ressaltou Ortiz. O texto segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que deve analisar a proposta ainda este ano. (Assessoria do deputado)
Fonte: PV


Comentário
O governo recém aprovou juros menores para a compra de motocicletas justamente para o transporte de mercadorias, para estimular a indústria de motos brasileira que está entrando em baixa por causa da crise financeira. Ou seja, este projeto vai contra a política do executivo, que prioriza a economia, e não a urbanidade e o bem estar, por isso suas chances de seguir adiante são nulas (espero que eu esteja errado), a menos que a sociedade se manifeste. Por outro lado, a parcela de motoboys e empresas no segmento já é grande o suficiente para brigar para anter seu status já assumido na sociedade de consumo.
A solução para o problema do transporte por motocicletas só virá com uma mudança no comportamento da sociedade e na logística das empresas, que pode vir pela legislação. Algumas cidades limitam o transporte em áreas centrais, permitindo a entrada de veículos grandes somente a noite, e durante o dia o uso de veículos puxados manualmente. Pode-se proibir o transporte de mercadorias e documentos durante o dia nas vias urbanas, seja por motocicletas ou não. Assim as empresas terão que se acomodar ao transporte em prazos de 24 horas, e não nessa pressa (como sinônimo de produtividade) que tomou conta da visão dos gerentes, empresários e parte da sociedade. Continuariam a usar o transporte por motocicletas os medicamentos e as comidas (pizzas e outras). E você terá que aceitar que poderá ser necessário deixar o carro de um dia para o outro na oficina para aguardar uma peça de reposição!