Páginas

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Coisas que acontecem, mas são boas

Sobre o post Andrei (Antropofocus) no site da Radio Rock. A roleta russa da justiça

"Tem mudanças que acontecem que você pensa: “puxa, grande idéia, deveríamos estar fazendo isso há anos”", diz ele.

Carro Flex, já comprei, desde 2002. Comer fritura no café da manhã, nunca comi, e já parei com frituras em qualquer refeição diária - eventualmente um bolinho de arroz; batata frita e frango frito raramente, ou quando sou convidado hehe. E a lei seca. Eu bebia muito até o começo da faculdade, e sempre voltei pra casa dirigindo (que coisa!). Às vezes (muitas) eu tinha que esperar amanhecer pra conseguir dirigir. E ainda colocava o carro na garagem do prédio sem arranhar nada. Depois que passei a beber socialmente (expressão estranha essa), ainda continuei dirigindo. E, vou confessar, parei de beber quando ia ter que dirigir depois por pressão da minha esposa. Ou seja, pra mim, a lei seca não mudou nada. Sucesso para os que precisaram mudar seus hábitos.

Aí pergunta o Andrei: "Por acaso o seu amigo que bebia todas hoje bebe menos antes de dirigir?", e responde: "Os meus não". Vale a pena ler o resto do post, um retrato da mentalidade do brasileiro, se é que podemos generalizar.

Eu não tenho mais amigos que bebem todas, faz tempo. Na verdade os que eu tinha, não eram amigos. É a idade (eu tenho 50) ou a seleção natural. Sobre os amigos de hoje eu não sei (até vou perguntar), pois geralmente bebo com eles em suas casas.

Há os que não pensam no que vem depois (da morte) - mesmo que nada venha, eu penso, pois apenas seguir a cultura ancestral ou os ritos não me satisfaz. E esse pensar traz seus benefícios.