Páginas

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Câmara proíbe a publicidade de bebidas alcoólicas

A comissão de Justiça da Câmara aprovou projeto que proíbe a propaganda de bebidas com alto teor alcoólico em rádio e tv. Ficam de fora a cerveja e o vinho. A proposta original previa apenas um “Dia Nacional de Prevenção contra o Álcool e as Drogas”.


"Dia Nacional" de qualquer coisa é completamente sem efeito. Assim como "Dia Mundial" de alguma coisa. Fala-se no rádio, nos jornais, um pouco na tv, os voluntários, órgãos públicos e ongs fazem campanha, , mas o cidadão que precisa estar informado fica sabendo? Não sei se esse "Dia ... Drogas" foi criado, mas se foi, é outro pra só gerar despesas públicas.


Da mesma são ridículas essas proibições. Já li um tempo atrás que o que é ruim mesmo na propaganda a CONAR resolve de forma razoável e rápida. O que muda se tiver propaganda ou não? As crianças na sala? Ora! Isso não existe mais. Criança não perde mais tempo vendo televisão nesses horários nobres. Eu não lembro de ter visto propaganda de bebida alcoólica que não seja cerveja, tem? Nem vinho tem na tv, somente no rádio e ainda em intervalos de programas para públicos específicos. Porque não proibiram tb para a cerveja? (será que é lobby dos fabricantes?) E essas propagandas de cerveja são ridículas. Proibir a propaganda beira a hipocrisia. O tempo e o recurso que se gasta com estas leis (estudo, aprovação, publicação, implantação, regulamentação, orientação, "fiscalização", etc) daria para muitas outras coisas mais construtivas.    Mas não, isso justifica muito tempo de congressistas e assessores, e no futuro, muitos ganhos para advogados.


Tem é que fiscalizar a venda de bebida para menores, punir o comerciante com mais rigor. Mas dizem que aqui as leis pegam ou não pegam, que não temos recursos para fiscalizar, pessoal, etc. Então não faz a lei, e vamos ver como é que fica, na consciência de cada um, que é como está hoje. Se temos leis que não são fiscalizadas, já estamos com liberdade de decidir por nossa conta o que fazer. Pra que então proibir propaganda? Não existe propaganda de maconha, ecstasy, etc. no entanto, ...


Em casa que se tem bebida alcoólica a propaganda é ao vivo, em objeto real. A questão de se poder beber, ou não, não passa pela propaganda. Será que a proibição da propaganda do cigarro diminuiu o consumo? Ou a proibição de fumar em muitos locais não foi mais eficiente?


O problema também não é beber, em si. Mas beber e depois dirigir achando que tá tudo bem. Uma certa quantidade para certas pessoas ainda passa, mas não como alguns pinguços tem feito por aí, como a gente via na tv - parece que diminuiu, ou a tv não mostra mais?


Beber eu acho que todo mundo até podia, até uma certa idade. Talvez seja uma curiosidade que deva ser satisfeita. Alguns gostam outros não. Mas só até o cara (geralmente é homem!) perceber o quanto o seu organismo fica prejudicado, o quanto ele é doente e não sabe. E se viciar, azar o dele. Não pode é ainda se escorar no INSS e receber ajuda do governo (nossa) para se recuperar, ou pensão vitalícia (e não é pouca coisa não) caso não se recupere. Tem muito mais gente precisando de ajuda para viver, comer e morar, do que esses pinguços.


Leia mais no blog do Josias de Souza