Páginas

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Você está louco?

Sim, você está louco! Ops, eu estou louco, não você. Quem me conheceu mais de perto, nos últimos 3 anos, sabe que eu já fiquei louco. O problema é que eu falei muita coisa, e fiz poucas, muito menos do que acho que posso fazer. Ainda não encontrei a forma que me seduzisse. Quem sabe a política? (WHAT)

(WHO) Você tem candidato a vereador? (WHERE) Não? Então vote em mim ... para 2012 (WHEN).

(WHY) Por que ser candidato? Para que as pessoas comuns comecem a ter representação mais importante na vida política, hoje totalmente dominada por políticos "profissionais" e muitos herdeiros dos clãs no poder. Eu penso que muitas coisas que precisam ser mudadas exigem uma nova visão dos problemas sociais e econômicos. E essa nova visão não pode estar amarrada às formas atuais de fazer política. E a gente vê ainda (estou vendo agora na TV) políticos cassados e denunciados voltando na maior caradura, o povo não tem memória. Na verdade, o povo precisa de ajuda, e acha que esses caras podem ajudar. Eles não têm culpa. Para que essa ajuda possa chegar ao povo necessitado, há a necessidade de se mudar totalmente as formas de atuação dos políticos, governo e de nós mesmos (a socidade civil não organizada). E esqueça a tal sociedade civil organizada, por que esses só querem manter seus privilégios. Para isso, os novos políticos têm que ser "virgens" e sem compromisso com os grandes partidos atuais.

(HOW) Pensei em iniciar um partido pela internet. Tipo Partido da Pessoa Comum, ou Partido Virtual Brasileiro. Até comecei a estudar as regras de como criar um partido. Mas ontem achei o PHS.

Você conhece o PHS (31), Partido Humanista Solidário? Não? Ótimo. Este será o meu partido. Pode entrar no sítio, mas não navegue muito porque é muito ruim. Já escrevi pra eles ontem.

Porque o PHS? Por agora por 3 motivos:
1) Porque ninguém conhece o PHS (eu vi no programa político na TV ontem, no intervalo dos telejornais; você não viu? Ótimo. Você não vê telejornais a noite? Ótimo!).
2) Porque eu gostei do viés solidário do partido. Tem até um Instituto PHS, aparentemente criado pelo fundador e pensador do partido, Philippe Guedon, do RJ. No sítio vale a pena ler apenas a história do partido (para entender sua origem). Não está atualizada (aparentemente é de 2001). Não me simpatizou muito a ligação com a "democracia cristã", que impregna muito o discurso do partido, pelo que vi na TV, mas não será um problema.
3) E o mais importante, na minha opinião, é um partido totalmente inofensivo. Nas eleições de 2004 em Curitiba tinha 3 candidatos, não eleitos, que tiveram juntos 1741 votos, 0,173% do total de comparecimentos. Os candidatos: José Carlos, Marco Silva e Massaranduba. Você conhece algum deles? Ótimo.

Quantos votos eu preciso? Vendo os resultados da eleição de 2004, com 4.000 votos dá pra se eleger.

Como conseguir? A tática é a SN (social network).
Explico: para ter 4.000 votos é necessário que 100 pessoas de minha rede social consigam cada uma mais 5 pessoas (500), estes consigam cada uma mais 4 (2.000), estes consigam cada uma mais 3 (6.000) e pronto. Supondo um índice de desistência nas eleições de 33%, ainda ficam 4.000 votos.

Prioritariamente todo o trabalho será pela internet. Mas podem haver reuniões presenciais, dá mais charme!

Importante: (esta lista pode aumentar)
1. Não fazer propaganda. Se tiver propaganda, os outros partidos e candidatos vão me atacar. Aí morreu! A propaganda custa dinheiro, e dinheiro corrompe. Então, sem propaganda. O negócio é de boca em boca.
2. Não fazer acordos nem participar de coligações. Os acordos limitam a atuação futura, e custam dinheiro (é meus amigos, um acordo tem custos: custo inicial na adesão antes da eleição, custo variável dependendo do seu desempenho futuro, e às vezes custo fixo mensal)

Assim, os objetivos serão:

(WHAT/WHEN)
1. Formar uma rede social de 6.000 pessoas, 2009
2. Manter a rede motivada para a eleição, 2009/2012
3. Discutir a plataforma de trabalho com a rede, 2009/2012
4. Ser eleito!! (2012)

(HOW MUCH) Quanto vai me custar?
Segundo um consultor político entrevistado na internet, "é preciso planejar bem a campanha, pois os gastos, muitas vezes, são elevados. As verbas são destinadas ao pagamento de militância, material gráfico e logística em geral”. Um estudo realizado em 2002 por um partido secundário que eu li na internet concluiu que o custo médio do voto nos grandes partidos se situa na faixa de R$ 30,00. Com 4.000 votos, isso daria R$ 120.000. Como estamos falando de um partido praticamente inexistente, o custo meta será R$ 0,50 por eleitor, ou R$ 2.000,00.

Resumo do Plano de Custo Inicial:

Militância: R$ 0,00 (todos estão na minha rede social)
Material gráfico: R$ 0,00 (os militantes vão imprimir da internet)
Comitê: R$ 0,00 (não tem)
Sítio de relacionamento da rede social: a determinar
Deslocamento para reuniões presenciais: a determinar
Locações: R$ 0,00
Marketing: a determinar
Propaganda: R$ 0,00
Cabos eleitorais: R$ 0,00
Brindes: R$ 0,00

E depois de eleito, qual o principal objetivo?
Trabalhar para eleger mais vereadores "virgens" nas eleições de 2016 (*), vereadores em outras cidades, e quem sabe 1 deputado em 2014!! eh eh. Mas sem promessas.

(*) se as eleições não forem unificadas; eu sou a favor da unificação para diminuir os custos e a chatice para a população. E também sou a favor do voto facultativo.

O título deste post foi aproveitado do livro Você está louco! Segundo livro do Ricardo Semler. Recomendo, sensacional. Assim como há entre os gênios, sábios, escritores e cientistas, os que fizeram sua obra antes dos 30 anos e os a fizeram após os 50. Eu penso que há também os que cometeram suas loucuras já no início da vida, como o Ricardo autor do livro e os que as cometerão no final, como este Ricardo que escreve.